100%

Salgadinho levanta dúvidas sobre regularização fundiária

Salgadinho levanta dúvidas sobre regularização fundiária Na sessão desta segunda, 28 de agosto, Salgadinho também pediu a criação de mais vafas de estacionamento
Por meio do Pedido de Informação 30/2017, apresentado na sessão ordinária desta segunda, dia 28, Luiz Bandeira (SD), o Salgadinho, questiona o governo municipal quanto à regularização fundiária no loteamento Bem Te Vi, no bairro São Jorge. Se a situação estiver em dia, diz ele, então que sejam apresentados documentos e, caso não, qual a previsão para resolvê-la. Além disso, o vereador questiona se o IPTU desses imóveis tem sido cobrado e, caso esteja, quantos estão em dia.

“Essas informações são necessárias porque inúmeras pessoas e famílias têm nos procurado alegando ter comprado e pago os lotes, mas não receberam a escritura. Como existe demanda acentuada querendo explicações sobre o assunto, solicito ao Executivo que forneça essas informações para podermos dialogar com a comunidade e ajudar nesta demanda”, argumenta.

Com a Indicação 95/2017, Salgadinho solicita ao setor de Trânsito da Prefeitura uma série de melhorias, como mão única na rua 9 de Outubro, no trecho entre as ruas Novo Hamburgo e São Leopoldo, com estacionamento oblíquo sentido a rua São Leopoldo; estacionamento oblíquo na avenida Brasil, entre a lateral da ERS-240 e a avenida Brasília; e vagas oblíquas na rua Luiz Camões no sentido saída para o viaduto.

O parlamentar reivindica, ainda, que na Estrada dos Corrêa, Rincão do Cascalho, sejam colocadas placas de sinalização indicando a velocidade permitida na via e que seja feito um estudo para colocação de quebra-molas. Segundo ele, essas medidas partiram de demandas da comunidade e são necessárias porque “precisamos criar alternativas de mobilidade em nossa cidade”.

Notícias

Diego critica ações do governo municipal
Diego critica ações do governo municipal

Vereador do MDB diz que prefeito deveria manifestar-se publicamente para explicar as medidas que o governo tem tomado em relação à polêmica do IPTU. Correção da planta de valores segue em tramitação na Justiça e no Ministério Público de Contas.