100%

Diego aponta problemas na distribuição de luz

Diego aponta problemas na distribuição de luz Diego destacou que moradores prejudicam a si mesmos quando plantam árvores grandes embaixo da rede
Constantes faltas de luz na zona rural, dificuldade de comunicação entre clientes e concessionária, plantio errado e manutenção falha em relação às árvores próximas à rede elétrica: a relação entre o Município de Portão e a companhia RGE Sul tem muito a melhorar. Foi o que destacou Diego Martins (PMDB), ao ocupar a Tribuna da Câmara Municipal, na noite desta segunda, dia 8. “Nossos agricultores têm grandes problemas com relação à luz. Qualquer árvore que se mexe e encosta na fiação já desliga o transformador, só que as pessoas precisam da energia para suas atividades rurais e também dentro de casa. Às vezes, ficam quatro ou cinco dias no escuro, perdendo todas as suas coisas e trazendo um enorme transtorno”, aponta.

Diego deixou um apelo ao presidente da Casa, Kiko Hoff (PDT), para que convoque a RGE a comparecer ao Legislativo para prestar contas aos consumidores, esclarecer dúvidas e tomar conhecimento de demandas da cidade. Segundo ele, essa reunião servirá para que a comunidade e os vereadores apresentem demandas e cobrem soluções, porque atualmente a comunicação por telefone muitas vezes não funciona.

“Nos últimos dois temporais, principalmente o pessoal da Vila Rica, passou três ou quatro dias sem luz, ligava para pedir intervenção, mas não conseguia. Neste sentido, uma audiência pública seria de extrema relevância”, destaca o parlamentar, que defende um canal de contato direto entre a Prefeitura e a concessionária”, reclama o vereador.
 
Projetos
Para minimizar os transtornos relacionados à energia, o peemedebista apresentou nesta segunda, dia 8, dois projetos de lei. O de número 01/2018 objetiva proibir a manutenção de postes danificados, quebrados, rachados ou precários com o uso de talas e, além disso, obrigar a substituição por um poste de concreto ou material definitivo. “Com talas, o poste fica vulnerável a ações dos ventos e fenômenos climáticos, podendo causar acidentes com sua queda. Além disso, a rede fica instável quando não está em sua normalidade. A previsão da empresa é a troca de todo o parque de postes por estruturas de concreto, mas é necessário que, em caso de acidente, ele seja trocado imediatamente para evitar problemas”, argumenta.

Já o PL 02/2018 visa evitar o plantio de árvores de grande embaixo da rede elétrica, porque elas podem causar prejuízo à rede elétrica, principalmente quando chove e venta. O maior problema é na zona rural, diz o legislador. Pela proposta dele, a distância mínima para a colocação de mudas é de 25 metros em relação ao eixo da rede. “O proprietário poderá, no recuo, plantar vegetação de pequeno porte, como erva-mate, árvores frutíferas, pastagens ou culturas anuais com até dois metros de altura.”

Notícias