100%

Câmara aprova ajuda de custo a atleta paraolímpico

 Câmara aprova ajuda de custo a atleta paraolímpico Wogt destacou que a Administração Municipal precisa criar lei a fim de que seja instituído o Conselho e o Fundo Municipal de Esportes
A Câmara de Vereadores aprovou, na última segunda, 28, o Projeto de Lei 34/2018, que prevê auxílio financeiro ao paratleta Gilsinei Pesamosca da Rosa e seu treinador, Paulo Antoni, para participar de etapas nacionais do Circuito Caixa de Atletismo, que estão previstas para junho e agosto, em São Paulo. A matéria prevê R$ 2.900,00 para cada viagem, cobrindo passagem, hospedagem e alimentação de ambos.

Na justificativa apresentada aos vereadores, o Executivo ressalta que o jovem é um exemplo de superação, já que treina e compete em alto nível mesmo com algumas limitações físicas. Recordista nacional na modalidade de 800m (ele também tem recordes regionais em 100m e 200m), Gilsinei busca marcas para conquistar vaga na seleção brasileira para o Panamericano de 2019 e para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020.

Ao debater o PL, Diego Martins (MDB) deixou claro que apoia o repasse ao atleta Gilsinei, mas reafirmou sua posição de que o ideal é a Administração Municipal instituir uma lei geral em favor do esporte para que não seja necessário obter autorização legislativa a cada vez que um esportista pedir auxílio financeiro e, além disso, para que o Executivo não decida sozinho sobre quem ajudar ou não. “Em dezembro do ano passado eu solicitei ajuda a um atleta, mas o governo julgou improcedente porque justamente seria necessária uma lei específica”, recorda.

Alexsandro Argenta, o Leco (MDB), apenas lamentou que o apoio financeiro não é concedido a todos os que precisam quando competem fora de Portão. “Todos que saem para representar o município deveriam ter esse direito. Inclusive um foi para a França representar a cidade e não tiveram oportunidade. A família teve que se virar fazendo rifas”, conta.

José Volmar Wogt (PDT) também entende que o Município precisa olhar para todos os atletas que disputam fora, por isso assegurou que será encaminhado ofício da Câmara ao Poder Executivo para que seja implementado o Conselho e o Fundo Municipal de Esportes. “Em 2015 eu fiz esse pedido e foi aceito, mas por questões financeiras o Governo Déti não conseguiu levar adiante”, recorda.
 
Mais investimentos
Na visão de Jorge Rodrigues Flores (PSB), o poder público precisa investir mais em esporte devido ao seu impacto social. “Podemos, quem sabe, pedir apoio do Comdica para que as empresas possam colaborar com os atletas através de uma grande parceria”, sugere.

Para João Pedro Gaspar dos Santos (PT), é hora de criar uma comissão de vereadores para levar essa proposta do conselho municipal até a sua efetiva implementação, porque essa questão é levantada há vários anos, porém sem efeito prático. O colegiado, diz JP, trabalharia em cima de um planejamento anual de eventos e analisaria caso a caso. Kiko Hoff (PDT) observou que a proposta é bem-vinda.

Quem também defende uma lei para que mais projetos e atletas sejam contemplados é Adair Rocha (MDB). “Claro que o Gilsinei merece, até porque é um atleta especial, mas penso que mais pessoas poderiam ser ajudadas, até para não tratar Pedro de um jeito, e João, de outro.”
Protocolos desta Publicação:Criado em: 30/05/2018 - 17:08:00 por: Marcelo Ricardo Fiori - Alterado em: 30/05/2018 - 17:08:53 por: Marcelo Ricardo Fiori

Notícias