100%

JP protesta contra área de terras “abandonada” no centro da cidade

JP protesta contra área de terras “abandonada” no centro da cidade João Pedro reivindica uma ação imediada do Poder Executivo em relação às terras entre o centro e a São Luiz
A faixa de terras situada entre a rodovia ERS-240 e a rua Júlio de Castilhos, que separa o centro da cidade e a Vila São Luiz, é somente objeto de especulação imobiliária e esconderijo de delinquentes. Foi o que destacou João Pedro Gaspar dos Santos (PT) ao manifestar-se na Tribuna do Legislativo, na sessão do último dia 5. Segundo ele, o matagal que cresce na área contribui para a ação de criminosos, citando que a residência da idosa Celuta de Oliveira, 92 anos, roubada duas vezes na semana passada, fica exatamente em frente ao local abandonado.

Na opinião do parlamentar, o governo municipal não pode mais ficar de braços cruzados diante da situação. Defendeu que o Poder Executivo notifique o proprietário a executar uma limpeza geral e, além disso, aplique IPTU progressivo sobre o imóvel, que “impede que a cidade cresça”. “Havia uma desculpa de que faltava fiscal de postura para agir, mas agora tem. Estamos falando de uma área no centro da cidade. Temos que dar um basta, colocando IPTU progressivo ou até mesmo fazer a desapropriação.”

João Pedro criticou que em parte dela nem mesmo a área do passeio público é respeitada. Na parte que as terras têm testada para a rua São Leopoldo, a cerca de arame farpado fica praticamente rente aos meios-fios, o que bloqueia o passeio público e impede a passagem de pedestres.
 
Animais
Em seu discurso, João Pedro adiantou que nos próximos dias o governo municipal irá anunciar em reunião pública um pacote de medidas em favor dos animais de rua. A ação da Prefeitura vem em atendimento a uma série de reivindicações apresentadas em audiência da Câmara de Vereadores no dia 12 de setembro.

Em reunião com a secretária de Administração, Priscila Lemmertz, na última semana, ele foi informado de que está previsto um convênio com uma ONG, a contratação de um veterinário, uma campanha de castração e a disponibilização de um espaço onde as voluntárias protetoras de animais poderão realizar seus brechós beneficentes. “Dos 11 itens levantados na audiência pública, temos encaminhamentos para 90% deles. Faltam somente alguns detalhes.”
Protocolos desta Publicação:Criado em: 07/11/2018 - 12:09:59 por: Marcelo Ricardo Fiori - Alterado em: 07/11/2018 - 12:10:29 por: Marcelo Ricardo Fiori

Notícias