100%

“Uma vergonha”, diz Zé sobre falta de praça no Portão Velho

“Uma vergonha”, diz Zé sobre falta de praça no Portão Velho Wogt também continua mobilizado com a questão do cadastramento biométrico
Um dos bairros mais antigos no município não tem nenhum metro quadrado de área de lazer. Foi com esse tom crítico que José Volmar Wogt (PDT) voltou a reivindicar uma praça para o Portão Velho, principalmente na parte conhecida como Cantão. Na sessão de segunda-feira, ele disse que faz esta solicitação há anos, mas nunca foi ouvido. “É uma vergonha não existir um espaço para a comunidade se reunir e as crianças se divertirem.”

Outra pauta abordada por ele foi a Indicação 25/2019, em que reivindica ao Poder Executivo a volta da Lei Municipal 2.445/2014, que instituiu o Programa de Regularização de Edificações. Com essa base jurídica, os proprietários tiveram um ano para regularizar suas construções em desacordo com o Plano Diretor e o Código de Obras do Município. “Muitos não conseguiram se adequar e hoje a demanda é até maior em função de Portão ter aderido à Redesim em 2018”, justifica o pedetista.

Na Tribuna, o parlamentar também pediu ao governo uma limpeza e roçada nos passeios das ruas asfaltadas que se situam no centro do município. Ele explicou que a empresa terceirizada, que no momento executa limpezas em vários bairros, foi contratada para trabalhar apenas nas ruas com calçamento.
 
Coleta da biometria
Com relação ao cadastramento biométrico — obrigação que todos os eleitores portonenses terão de cumprir este ano, exigindo a presença no Cartório Eleitoral — Wogt esclareceu que a CICS também acha necessário o atendimento ser disponibilizado em Portão e disse que empresta a sua sede para essa finalidade. “E o prefeito Renato se colocou à disposição com servidores, equipamentos e o que for necessário. Só precisamos sensibilizar as autoridades.”
Protocolos desta Publicação:Criado em: 03/04/2019 - 12:28:51 por: Marcelo Ricardo Fiori - Alterado em: 03/04/2019 - 12:28:51 por: Marcelo Ricardo Fiori

Notícias