100%

Sessão itinerante trata de demandas do São Jorge

Sessão itinerante trata de demandas do São Jorge Primeira sessão itinerante ocorreu depois de uma pausa de quatro anos
Depois de um hiato de quatro anos, a Câmara de Vereadores voltou a realizar sessão itinerante e o primeiro bairro contemplado foi o São Jorge, nesta segunda, 10 de junho. “Nosso intuito é aproximar o Legislativo da comunidade, porque muita gente não consegue ir à nossa sede acompanhar os trabalhos. Sabemos que o momento político é complicado, mas estamos aqui mais para ouvir do que falar”, destacou o presidente da Casa, Diego Martins (MDB), que capitaneia o projeto.

A tônica da reunião foi a situação em que o bairro vive. Neste contexto, a limpeza pública deixa a desejar. De um lado, parte dos moradores não colabora criando depósitos de entulho em vários pontos. De outro, o governo municipal não oferece espaço público onde as pessoas possam depositar móveis velhos, restos de construção e podas. “Aqui nesse bairro, junto à fábrica de canos, há lugar onde a comunidade poderia descartar regularmente o seu lixo. É preciso trabalhar em sinergia para que as coisas aconteçam”, salienta o presidente da Câmara.

Roberto Eismann (PT) disse têm havido avanços, mas ainda há muito a ser feito, porque são demandas que exigem investimentos de mais uma gestão. É o caso da rede de esgoto, que já tem bastante tempo de uso e não é limpa periodicamente. “Também tenho expectativa de que a situação da creche, que busquei em 2014 ao lado da prefeita Déti, se desenrole na Justiça em breve. A verba de R$ 1,4 milhão existe, mas está retida”, pontua.

Projetos parados há mais de 10 anos agora progridem por iniciativa do atual governo e da diretoria da associação de moradores, disse José Volmar Wogt (PDT). É o caso do campo de futebol do bairro, cuja grama, inclusive para os taludes, está comprada. “Já está firmada uma parceria do Executivo com a associação e esta comunidade”, ressalta. A Administração Renato Chagas também já garantiu uma pracinha infantil para ser instalada em breve, segundo ele.
 
Posto de saúde
Jorge Rodrigues Flores (PSB) lembrou que a população local precisa de posto de saúde, já que as unidades mais próximas, Albino Kern e Estação Portão, são restritas ao público de ESF, o que obriga os moradores a irem até o centro. “O bairro não para de crescer, e o Central está lotado”, constata. Enquanto esse investimento não ocorre, outras conquistas estão a caminho, conforme o socialista: “Vai ter o campo de futebol, uma pista para caminhada e a pracinha”.

Ari de Oliveira (SD) expressou que há anos existe a reivindicação por área de lazer para crianças — demanda que agora o prefeito Renato Chagas se encaminha para atender junto à construção do campo de futebol.
 
Críticas
Conforme Adair Rocha (MDB), os problemas do São Jorge são os mesmos de outros bairros, como por exemplo as bocas de lobo entupidas, além de falta de oportunidades de emprego. “Mas a reivindicação urgente aqui é um posto de saúde e uma creche. Precisa vontade política. Capela de Santana, município aqui do lado, vai fazer um posto 24h. Por que aqui não?”, compara.

Alexsandro Argenta (MDB), o Leco, contou que o São Jorge, assim como o Rincão, seriam contemplados com duas academias de rua, que seriam construídas com verba estadual por ele obtida. No entanto, Portão não recebeu esses recursos por constar no Cadastro de Inadimplentes. Além disso, ele afirmou ter várias pequenas reivindicações para o bairro, como conserto de bocas de lobo e colocação de placas de trânsito, porém o Executivo não o atende por ser da oposição: “O que vocês precisam aqui não são promessas, mas investimentos.”
 
Avaliação
A presidente da associação de moradores, Rosana Kovalski Fortes, aprovou a iniciativa do Legislativo ir ao encontro da população e disse que a relação com o poder público tem sido boa, já que todos os bairros têm suas demandas. “Tem muito a ser feito aqui, mas não podemos nos queixar, porque várias coisas têm vindo em nosso benefício, como o asfalto na rua São José. Claro que se tivéssemos um posto de saúde seria muito bom”, comenta. A principal prioridade agora, diz ela, é concluir o campo de futebol e instalar uma praça infantil, projetos que já vêm sendo trabalhados em parceria com o governo Renato.

Neste sentido, para angariar recursos que ajudem a finalizar a área de lazer, a diretoria planeja para 7 de julho um churrasco seguido de reunião dançante. O lucro do evento será aplicado em serviços e itens que não puderem ser fornecidos pela Administração Municipal. “Faremos um mutirão para plantar a grama e colocar os postes do campo. É mais justo quando as coisas acontecem em parceria”, salienta Rosana.
Protocolos desta Publicação:Criado em: 11/06/2019 - 12:44:38 por: Marcelo Ricardo Fiori - Alterado em: 11/06/2019 - 12:44:38 por: Marcelo Ricardo Fiori

Notícias